MPTAP

A história do escritório começou em 1978, quando um pré-candidato a cargo eletivo importante se viu em sérias dificuldades com seu partido, que seguiria dividido para uma convenção. Antecipando os riscos que correria, teve a cautela de incumbir seus advogados de contatarem especialistas em direito eleitoral que se dispusessem a permanecer de sobreaviso, à espera do desenrolar dos acontecimentos, que se previam tumultuosos.

Foi assim que foram convidados para o trabalho em perspectiva o saudoso Francisco Octavio de Almeida Prado (então jovem e combativo advogado, da confiança de Hely Lopes Meirelles para as mais árduas causas de seus próprios clientes) e Arnaldo Malheiros (que encerrara carreira no TRE de São Paulo dois anos antes e retomara o exercício da advocacia, iniciado no renomado escritório de Noé Azevedo, Lauro Malheiros e Theotonio Negrão).

O êxito alcançado na primeira empreitada, vencida no TSE, trouxe-lhes, logo em seguida, outro caso de grande relevância, em que se discutiam limites à ditadura militar que impunha sanção de inelegibilidade por tempo indeterminado a brasileiros que se opunham ao regime. Esse processo culminou com a vitória do seu cliente no Supremo Tribunal Federal, em memorável julgamento.

Os dois advogados, que até então trabalhavam separadamente, decidiram unir-se num só escritório que, alguns anos depois, resultaria na sociedade MALHEIROS E ALMEIDA PRADO – ADVOCACIA, com reconhecida atuação no Direito Público. Da sociedade participaram Ricardo Penteado, Marcelo Certain Toledo, Carlos Eduardo da Costa Pires Steiner e Joel Pereira de Moura.

Em 1995 a sociedade cindiu-se amigavelmente, dando origem, posteriormente, a ALMEIDA PRADO – ADVOGADOS, encabeçada por Francisco Octavio de Almeida Prado, e MALHEIROS, PENTEADO E TOLEDO – ADVOGADOS, constituída por Arnaldo Malheiros, Ricardo Penteado, Marcelo Certain Toledo e mais tarde por Andréa Deda Duarte de Abreu.

Em 2003 faleceu Francisco Octavio de Almeida Prado, que a essa época mantinha sociedade com Francisco Octavio de Almeida Prado Filho, decidindo os membros das duas sociedades, numa volta às origens, associar seus escritórios a partir de 1º de março de 2005, sob a designação de MALHEIROS, PENTEADO, TOLEDO E ALMEIDA PRADO – ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS ASSOCIADOS.

Em 14 de junho de 2006, finalmente, os escritórios agrupados passaram a formar a sociedade atual, MALHEIROS, PENTEADO, TOLEDO E ALMEIDA PRADO – ADVOGADOS. Desta, algum tempo depois, desligou-se Andréa Deda Duarte de Abreu, passando a integrá-la Amilcar Luiz Tobias Ribeiro e Eduardo Miguel da Silva Carvalho, sendo admitido como associado Guilherme Paiva Corrêa da silva. Nos anos recentes o escritório exerceu a coordenação jurídica de campanhas eleitorais de candidatos à Prefeitura e ao Governo do Estado de São Paulo, bem como de candidatos à Presidência da República. Atuou, ainda, na solução de intricadas questões de Direito Administrativo, incluindo assessoria em licitações e contratos administrativos, concessões, bens públicos, direito administrativo sancionador e inúmeros caso de contencioso.

Hoje, assim como no início, MALHEIROS, PENTEADO, TOLEDO E ALMEIDA PRADO – ADVOGADOS dedica-se à prestação de serviços de advocacia, com ênfase em Direito Público.